Cadastre seu e-mail para fazer o download:

X FECHAR

Cadastre seu e-mail para fazer o download:

X FECHAR

5 dicas para resolver brigas entre irmãos

Quem tem dois filhos ou mais sabe como é comum que haja brigas entre irmãos. Qualquer discussão pode se tornar acalorada demais, passando por ofensas e até agressões físicas. Por mais que possa ser algo normal, o ideal é que não vire rotina. Afinal, se uma criança não consegue discutir de forma civilizada com alguém da família, em outros ambientes e com pessoas desconhecidas, pode ser ainda mais complicado. Vamos conversar mais sobre esse assunto? Neste post, vamos entender as principais causas e vou te dar 5 dicas de como evitar brigas entre irmãos. Confira:

O que costuma causar brigas entre irmãos?

Atritos entre crianças e adolescentes costumam acontecer por rivalidade — que, por sua vez, é resultado de uma disputa pela atenção dos pais. Como resultado, os responsáveis se sentem culpados, mesmo que não fomentem esse problema e façam de tudo para que os irmãos se entendam.

Ciúmes

Primeiramente, é importante que você entenda que brigas entre irmãos são comuns. Uma hora ou outra, filhos entram em conflito, principalmente quando a diferença de idade é maior. Em alguns casos, o mais velho sente que está perdendo espaço, já que você provavelmente terá mais atenção com o mais novo.

Envolvimento 

Saber envolvê-lo nos cuidados com a criança menor e explicar que agora ele já tem responsabilidade e pode ser um pouco mais independente farão com que o filho mais velho não se sinta rejeitado. Ter um momento só com ele também é importante para alimentar o laço entre você e seu filho. 

Se houver brigas alternadas entre momentos de carinho, você não precisa se preocupar tanto. Mas se elas forem constantes, talvez seja hora de uma intervenção mais incisiva — e não estou falando de mandar as crianças se calarem, hein! 

Injustiça

Outro fator que causa muitas brigas entre irmãos é a sensação de que está sendo injustiçado. Por exemplo, quando você manda a criança fazer uma tarefa enquanto a outra continua jogando videogame — mesmo que a segunda tenha passado a tarde arrumando o quarto. 

Um fator importante é explicar para a criança que igualdade não é justiça. Os dois não vão ter o mesmo tempo de brincadeiras se um deles, por exemplo, não fizer a lição de casa. O mais importante é que você priorize a justiça. Quando seus filhos compreendem isso, aceitam com mais facilidade as diferenças e superam conflitos destrutivos entre si.

Como evitar as brigas entre irmãos?

Veja 5 dicas para diminuir as disputas entre seus filhos:

1. Estimule a conversa

Muitas vezes, as crianças estão brigando e nem sabem o motivo! Um começa a discutir com o outro sem dizer por que está chateado. Imagine a confusão! Essa falta de abertura pode ser levada por toda a vida: o indivíduo guarda a mágoa de outra pessoa e começa a tratá-la diferente, mas não diz o motivo.

A melhor estratégia para resolver esse problema é pedir para que um diga ao outro o que o está incomodando. Depois, peça para que um se coloque no lugar do outro. Essa atitude vai estimular a empatia e ainda vai auxiliá-los a solucionar o problema por conta própria.

2. Saiba a hora de intervir

Como dissemos, brigas entre irmãos constantes e mais pesadas, que envolvam violência, exigem uma intervenção. No entanto, nem sempre ela será necessária. 

É importante que as crianças aprendam a se resolver sozinhas. É uma forma de trabalhar a independência e a resolução de conflitos por conta própria.
Portanto, mesmo que você sinta o impulso de resolver o problema, analise se há necessidade. Crianças são inteligentes e podem solucionar conflitos sozinhas.

Mas se a situação ficar muito tensa ou se seus filhos pedirem ajuda, ouça todos os lados. Gritar e punir ambos pode parecer mais fácil, mas é a pior das soluções. Saber ouvir traz resultados muito mais efetivos — e lembre-se de que crianças são espelhos dos adultos. Quando você as escuta e conversa, a tendência é que elas façam o mesmo.

3. Insista na conversa

Se brigas entre irmãos são constantes, por que conversar com elas também não deveria ser? Falar apenas uma vez não vai adiantar. Converse, ouça e insista nos seus argumentos. Você pode falar a mesma coisa de formas diferentes — o que é até melhor, pois não soa repetitivo. 

4. Seja justo

Sim, vou separar um tópico apenas para justiça! É bem comum que os pais se sintam tentados a proteger o filho mais novo. Afinal, teoricamente ele seria mais “frágil” e não teria tanta noção sobre suas atitudes. Nesse caso, você vai causar dois problemas: a criança mais velha vai ficar com ciúmes e se sentir injustiçada.

Portanto, tenha sempre noção de justiça e mostre a seus filhos que seus atos têm consequências (adequadas a cada idade, claro).

5. Coloque limites sem diminuir as crianças

Haverá uma hora em que você deverá falar de maneira mais severa. O importante, no entanto, é demonstrar sua autoridade sem diminuir a autoestima da criança. Ofendê-la, por exemplo, não é a melhor atitude.

Em vez de reprovar a criança em si, reprove o comportamento. Você pode dizer, por exemplo, que ela já é madura o suficiente para saber dividir seus brinquedos. 

Pronto para promover a paz entre seus filhos? O que você costuma fazer para separar brigas entre irmãos? Deixe seu comentário aqui embaixo!

Nenhum comentário.

Deixe um comentário!

WordPress Image Lightbox Plugin