Cadastre seu e-mail para fazer o download:

X FECHAR

Cadastre seu e-mail para fazer o download:

X FECHAR

8 Dicas inteligentes de melhorar a saúde do professor

Que a profissão de educador no Brasil é desafiadora muita gente já sabe, mas o que pode ser feito quando as dificuldades na sala de aula começam a atrapalhar a saúde do professor?


Educar é uma ação milenar.

Ao mesmo tempo que ela tem uma importância muito grande na sociedade, ela pode ser um pé no acelerador para o desgaste físico e emocional desses profissionais. Seja pelo excesso de burocracia nas escolas, indisciplina dos alunos, prazos apertados, desrespeito de alunos entre outras tantas barreiras que causam um esgotamento do professor.

Na prática, exercer esse papel nos últimos anos não tem sido nada fácil.  Um estudo nacional com base em mais de 15 mil respostas de docentes revelou que mais de 60% dos professores apresentam níveis preocupantes de exaustão emocional. Isso acontece em grande parte pois cada vez mais ampliam-se as responsabilidades e exigências sobre esse profissional, de modo que ele precisa apresentar, além das competências pedagógicas, habilidades sociais e emocionais.

O adoecimento de docentes está diretamente relacionado às más condições de trabalho: episódios de violência, falta de infraestrutura, aumento de responsabilidades, ausência de recursos básicos e redução de profissionais de apoio aos professores, como coordenadores pedagógicos, psicólogos e mediadores de conflito. Devido ao número elevado de alunos por turma, os docentes precisam gastar ainda mais energia para manter o controle da classe. Eles perdem muito tempo lidando com indisciplina e não conseguem cumprir o plano de aula previsto.Com todos esses problemas a saúde do professor, acaba sendo deixada de lado, como se não houvesse importância.

Um relatório do Instituto de Política de Aprendizagem sem fins lucrativos constatou que quase 8% da força de trabalho de ensino está diminuindo a cada ano. E isso não é devido à aposentadoria! Essa estatística é aproximadamente o dobro da taxa de países de alto desempenho, como Finlândia e Cingapura. Por que não nos inspirar nesses países para a mudança? Lá, mais do que a remuneração, as estratégias de recrutamento e formação, bem como o prestígio social do magistério são fatores determinantes da qualidade dos profissionais da educação finlandesa.

Quer seja falta de apoio administrativo, pressões em torno dos testes ou condições de trabalho frustrantes, os professores deixam a profissão por diversos motivos. Então, o que  fazer para preservar a saúde mental do professor no âmbito escolar e manter a profissão ao longo dos anos?

Separamos abaixo 8 dicas de como lidar com os desafios atuais da profissão e não prejudicar a saúde emocional do professor:

1. Encontre alguém com quem você possa estar vulnerável.

Se você tem um amigo, tem uma sensação de segurança e é mais provável que peça ajuda. Não dá para passarmos a vida achando que podemos nos virar sozinhos o tempo todo. É importante que todo professor tenha uma rede de apoio, alguém que ele sabe que pode contar e confiar.

Dessa forma, se a sua lição falhar, você pode ir até eles e falar sobre isso. As chances são que se eles estiveram lá, eles poderão te dar suporte emocional e até ajudá-lo a descobrir um plano para melhorar. O mundo é grande o bastante para encontrarmos nele os nossos pares, as pessoas que nos entendem, nos ajudam e, acima de tudo, nos fortalecem. Você já tem sua rede de suporte? Você faz parte de uma rede de suporte? Se preocupa com a saúde mental dos professores?

2. Crie tempo para brincadeiras.

Os professores estão lidando com tantas exigências que às vezes esquecem de abraçar o lúdico. É importante que os professores procurem maneiras de aliviar o clima nas salas de aula.

Cabe a você como professor, encontrar diversão em cada situação. Quando estiver se sentindo à beira de uma crise de estresse, tente se lembrar de pequenas histórias bobas e engraçadas que seus alunos fizeram para lembrar-lhe o quanto você ama ensinar.

A saúde do professor é uma questão importante e abrangente, mas a primeira pessoa que deve se preocupar com isso é você mesmo.

3. Torne seu dia-a-dia interessante.

Cansado de listas de tarefas e exercícios? Cabe ao professor tornar a sala de aula mais leve. Você pode ter metas baseadas em padrões, mas as práticas cotidianas em sala de aula dependem dos professores para serem envolventes e enriquecedoras.

Procure uma escola onde os administradores confiem nos professores para serem criativos. Você pode até considerar se matricular em uma turma de pós-graduação para aprender os métodos mais recentes ou encontrar novas abordagens para suas aulas.

Manter a cabeça ocupada ou, ao menos, afastada dos problemas cotidianos, já é um bom primeiro passo para começar a resolver o problema da saúde do professor.  

4. Não tenha medo de se dar um tempo de presente.

Como somos doadores naturalmente, é fácil nos colocarmos em segundo plano, mas um professor saudável significa uma sala de aula saudável! Seja uma aula de dança, tricô, tirar fotos ou sair do trabalho às 3 da tarde para dar um passeio, apenas faça.

Pratique atividades  que lhe gerem prazer. Lembre-se: você tem que cuidar de você antes para que você possa cuidar daqueles ao seu redor. Marque um encontro consigo mesmo e não cancele! A saúde psicológica do professor é tão importante quanto a física.

5. Quando você se sentir sem esperança, encontre uma perspectiva.

Para ser um bom professor, você precisa se conectar e se relacionar com as crianças, mas não pode salvar o mundo. Às vezes, os professores preocupam-se tanto com os alunos, que aqueles com algum problema pessoal ou trauma agarram-se ao professores, consumindo muito sua energia.

Essa preocupação extra, essa carga pesada que sente a obrigação de carregar, causa muitos efeitos negativos na saúde do professor. Esteja ciente sobre o que você pode e não pode resolver. Enquanto os professores são acusados ​​de serem defensores de seus alunos, eles também precisam ajudar os alunos a desenvolver sua própria voz e defenderem a si mesmos. É importante saber que você precisa dar um passo atrás. Não é sua responsabilidade salvar todos os alunos todos os dias.

6. Não faça da educação a sua vida.

Os professores são notórios por sempre estarem à procura de novas ideias para trazer para a sala de aula. Alguns professores antes de dormir, por exemplo, costumam ler livros sobre educação. O problema é que às vezes o hobbie acaba sendo sua própria profissão e por consequência acaba te consumindo.

Se você tem esse perfil, procure escolher uma comédia, ficção ou outros livros divertidos para ler, assim você relaxará, além de dar a seu cérebro uma pausa muito necessária. Se você estiver procurando maneiras de aumentar sua educação, considere inscrever-se em um workshop ou em uma aula de educação continuada, de modo que haja um horário e um local designados.

Desta forma, não vai entrar no seu tempo pessoal.Tirar um tempo para você mesmo é necessário, a saúde emocional do professor é primordial para que as aulas funcionem.

7. Encontre sua própria voz e permita que ela mude com o tempo.

Ensinar é uma arte mais que uma ciência. Somos todos tipos diferentes de artistas e professores. É fácil deixar o seu estilo de educação espelhar o de um colega ou professor universitário, mas permita-se encontrar sua própria voz.

Além disso, deixe sua persona de ensino evoluir com o tempo. É mais provável que você seja feliz em sua profissão quando puder ser você mesmo, se sentir no controle e ensinar de uma maneira que reflita seus valores. O autoconhecimento, principalmente através das competências socioemocionais para educadores, é um aliado para encontrar a sua voz.

A saúde do professor vai mais além do bem-estar físico. Engloba o físico, mental, emocional e social.

8. Não tenha medo de mudar.

Se a sua posição atual não está permitindo que você seja o professor que você imaginou, talvez haja outra escola ou uma série diferente que seja mais adequada para você. Você se sente como se tivesse atingido seu máximo?

Voltar para a escola para continuar sua educação é outra maneira de reacender esse fogo dentro de você para ajudar com esse sentimento de esgotamento.

Você pode trabalhar em outra série ou aperfeiçoar seus conhecimentos em uma determinada área.

Mudar faz parte da vida e ainda mais quando pensamos na felicidade e da saúde do professor em sala de aula. A motivação e a paixão precisam estar presentes.

Gostou das dicas? Se você está procurando uma maneira de reacender a paixão por lecionar, ou acredita que alguém precisa de ajuda para evitar que o desgaste emocional influencie diretamente na saúde do professor e no seu rendimento em sala de aula, inscreva-se no curso online Competências Socioemocionais para Educadores.

2 Comentários

  1. Tônia você fez toda a diferença na minha vida neste momento! Mês que vem farei 60 anos, 30 dos quais dedicados a educação. Era uma grande paixão alfabetizar, através dos nomes das crianças e das histórias, de onde brotava as ideias para fazer projetos que se tornavam interdisciplinares , quando ainda nem se falava muito sobre isso. Nestes últimos 5 anos, eu estava muito esgotada e me perguntaca o que estava faltando. Foi aí que encontrei você falando de Competências Socioemocionais... Estudei um pouco. Me dei um tempo. Olho para mim agora com muito amor e vejo que com O que tive eu fiz o melhor. Eu sou muito grata a você! Parabens Parabéns por este maravilhoso trabalho!
    • Que mensagem linda, Isabel! Às vezes, só precisamos de um tempinho para colocar a cabeça no lugar e ser feliz novamente! Desejamos muito sucesso na sua nova trajetória, no seu novo tempo! <3

Deixe um comentário!

WordPress Image Lightbox Plugin