Cadastre seu e-mail para fazer o download:

X FECHAR

Cadastre seu e-mail para fazer o download:

X FECHAR

Como combater o bullying nas escolas? – Tonia Casarin

Você conhece alguma criança que já foi vítima de bullying nas escolas? O dado divulgado pelo Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) 2015 diz que um em cada dez estudantes brasileiros é vítima de bullying. É um número altíssimo, se considerarmos que alguns deles podem passar pelo problema, mas não admiti-lo.

O termo bullying é um anglicismo que se refere a atos de intimidação e violência física ou psicológica, geralmente em ambiente escolar. Na prática, é uma agressão verbal ou física que ocorre de forma repetida, de uma criança para a outra, ou de forma coletiva, de um grupo para uma criança.

É importante entender que bullying nas escolas é coisa séria e não é apenas brincadeira de criança. Para isso, a atenção dos professores e da instituição aos sinais de agressão são fundamentais para prevenir e tratar esse comportamento. 

Quer saber mais sobre o assunto? Veja como atuar em casos de bullying nas escolas:

Como lidar com o bullying nas escolas?

O primeiro passo importante é o professor descobrir os agressores e as vítimas do bullying, já que sua intervenção é fundamental para combater o problema.

É muito comum que quem sofra com bullying não consiga pedir ajuda por medo. Por isso, é essencial que os professores fiquem atentos aos possíveis sinais de que a criança esteja sendo agredida. Ela pode se tornar apática, perder a vontade de ir para a escola, apresentar sintomas de depressão e começar a ter baixo desempenho.

Quando o professor não reconhece a agressão ou se torna omisso ou imparcial ao bullying nas escolas, os agressores acabam se fortalecendo, já que não são responsabilizados. Como consequência, muitas vezes esse ciclo se repete só piorando a situação e o clima dentro da sala de aula.

Existe outras medidas interessantes que os educadores podem tomar para diminuir questões associadas à vitimização e à agressão. Veja:

  • promover uma atmosfera de apoio e empatia dentro da sala;
  • incentivar o respeito às diferenças por meio de rodas de conversas;
  • promover atividades que estimulem a cooperação;
  • realizar campanhas de solidariedade e incentivo a paz.

Essas são algumas das ações de prevenção que todo professor pode fazer com seus alunos. Embora simples, são eficientes e permitem que tanto vítimas quanto agressores possam se abrir e compartilhar vivências.

Nesse sentido, é preciso estar cada dia mais atento para combater essa prática e ajudar as crianças que sofrem com esses comportamentos. Cabe ao professor garantir um ambiente de respeito segurança aos alunos para manter uma atmosfera favorável ao aprendizado.

Além disso, por inúmeros motivos, a escola pode ser o ambiente mais confiável na rotina de uma criança ou adolescente. É essencial que esse tipo de laço não se perca.

Desenvolver as emoções é fundamental para que as crianças tenham um melhor desempenho escolar. E isso pode melhorar as relações com as outras crianças. Portanto, não deixe de colocar em prática ações que possam combater o bullying nas escolas!

Quer mais dicas sobre a rotina educacional nas escolas? Acompanhe o nossas páginas no Facebook e no Instagram e continue desenvolvendo as competências socioemocionais das crianças junto com a gente!

Nenhum comentário.

Deixe um comentário!

WordPress Image Lightbox Plugin