Cadastre seu e-mail para fazer o download:

X FECHAR

Cadastre seu e-mail para fazer o download:

X FECHAR

Como as brigas de casal podem afetar as crianças

Muitas vezes nós não nos damos conta, mas as brigas e discussões de casal diante dos nossos filhos podem criar uma memória negativa para sempre. Além de influenciar negativamente o desenvolvimento emocional deles.

Um estudo publicado no jornal da Associação Americana de Psicologia, é mais uma confirmação disso. A pesquisa aponta que pais que discutem muito em casa podem alterar o psicológico. Principalmente, o modo como os pequenos lidam com as emoções e com as outras crianças.

 

Está passando por situações difíceis na família? O curso Tsunami Familiar pode te ajudar a lidar com as situações difíceis da vida.

 

O estudo selecionou dois tipos de crianças: um grupo era formado por crianças que diziam ver os pais brigando com muita frequência. E viam aquilo como ameaça de separação; o outro não presenciava muitos conflitos importantes. Em seguida, os pequenos foram orientados a ver fotos de casais felizes, sem expressão e furiosos enquanto tinham a atividade cerebral monitorada.

Crianças vindas de lares com baixa ocorrência de conflitos acertaram praticamente todas as classificações. Já as que encaravam as brigas dos pais como uma ameaça acertaram as expressões de alegria e de raiva. Mas, erraram as neutras. Isso acontecia porque expressões neutras não chamavam atenção delas e por esse motivo não conseguiam identificá-las.

O estudo concluiu que as crianças que vivem em um ambiente de conflito estão acostumadas a estarem constantemente em estado de alerta. O que pode gerar dificuldades em relacionamentos. Assim, crianças que sempre presenciam os pais brigando em casa podem ter dificuldade de se integrar socialmente e de fazer amigos.

af_tonia_cta-10-desconto-medo_900x200px

Mas então não posso mais brigar na frente das crianças?

As discussões fazem parte em qualquer relação, afinal seria impossível um casal concordar sobre tudo. No entanto, quando as palavras se tornam duras e cruéis e o respeito acaba então a discussão se torna uma briga e o casal se envolve em emoções destrutivas nada favoráveis à relação e ao exemplo para as crianças.

Se um casal diverge em algo, não precisa omitir dos filhos. Mas essa conversa deve acontecer com respeito, sem ofensas, humilhações e, especialmente, sem violência, seja ela física ou verbal.

Afinal discussões são importantes pois nos levam ao aprendizado! Por isso, quando não concordar com a outra pessoa, tente debater sobre o assunto mostrando apoio ao outro, compreensão e empatia. Demonstrar cumplicidade e compromisso para resolução do problema é um dos melhores caminhos para o casal e para o exemplo a se dar para os filhos.
Quer entender mais sobre as emoções das crianças? Acompanhe o nosso Facebook e Instagram e aprenda sobre como desenvolver as competências socioemocionais desde pequenos.

Nenhum comentário.

Deixe um comentário!

WordPress Image Lightbox Plugin