Cadastre seu e-mail para fazer o download:

X FECHAR

Cadastre seu e-mail para fazer o download:

X FECHAR

Precisamos conversar sobre a Síndrome de Burnout em professores

Dentro da sala de aula, educadores são vistos como uma fonte rica de conhecimento e aprendizagem, entretanto, não enxergarmos a tamanha cobrança e dedicação para tudo isso acontecer. 

Eis que entra em cena a síndrome de burnout em professores. Um sinal de que o corpo ou a mente parou de gerar energia. Irritabilidade, tristeza, fraqueza e falta de empatia estão entre os sintomas do burnout. 

Essa síndrome é mais frequente em carreiras com alta demanda emocional e interações intensas, que é o caso dos professores. Para aprofundarmos mais nesse assunto, vamos conversar e entender melhor o que é a síndrome de burnout em professores. 

O que é a Síndrome de Burnout? 

O termo burn out ou burnout, em inglês, significa “queimar até exaustão” e, trazendo para a vida real, a síndrome se inicia com excessivos níveis de estresse no trabalho. 

Embora a palavra tenha uma coligação com o estresse, ambos possuem suas diferenças. O Burnout é um sentimento que faz o indivíduo “bloquear” em situações estressantes do cotidiano. Já o estresse, é uma luta do organismo para recuperar o equilíbrio físico e mental. 

Por isso, o burnout é conhecido por ser uma síndrome da desistência simbólica. Mesmo que o profissional não esteja ausente fisicamente, ele não consegue se envolver mais emocionalmente com o que faz. 

Transtornos mentais ainda são vistos como um “tabu” 

Seja dentro ou fora do ambiente de trabalho, casos relacionados com a saúde mental ainda são tratadas como um “tabu”, pois existe o medo de demissão ou de julgamentos. 

Esse tipo de comportamento pode prejudicar, e muito, um diagnóstico preciso ou um pedido de ajuda, quer por colegas de trabalho ou ajuda profissional, por parte do indivíduo que passa pelo problema. 

No campo acadêmico, esse tipo de situação pode ser menos recorrente pelo fato da escola ser uma ambiente aberto sobre assuntos psicológicos. Entretanto, todo o corpo docente precisa focar não só na questão psicológica dos alunos, mas também dos educadores. 

Formas de identificar a Síndrome de Burnout

Apesar da exaustão emocional ser a principal característica do burnout em professores, segundo definição da Organização Mundial de Saúde (OMS), a síndrome abrange também alguns sentimentos como: 

- Depressão;

- Solidão;

- Raiva;

- Irritabilidade;

- Fraqueza;

- Dores de cabeça; 

- Distúrbio do sono.

A OMS ainda destaca que o esgotamento se refere especificamente para casos profissionais e não deve ser utilizado para descrever experiências em outros âmbitos da vida. 

Como evitar a síndrome de burnout em professores

Aos educadores: cuidados para evitar a Síndrome de Burnout

Sabemos que para o professor é uma tarefa quase que impossível manter tudo sob controle, pois há cobranças e preocupações, tornando-o suscetível a desenvolver transtornos, especialmente a burnout. 

Ainda que o profissional precise se empenhar para lidar com os problema do dia a dia, qualquer coisa que possa auxiliar na vulnerabilidade do educador com os estressantes do seu cotidiano, ajuda a diminuir as chances da síndrome de burnout em professores. 

Para isso, é essencial todo o apoio da escola e da família. A direção escolar tem o papel fundamental de minimizar os problemas estruturais, como condições de trabalho inadequados e oferecer um espaço em que o profissional possa recorrer nos momentos conturbados. 

Em relação aos colegas de trabalho, a troca de vivências e problemas comuns favorece para que a pessoa reveja suas expectativas e encontre formas possíveis de lidar com as frustrações. 

O tratamento da Síndrome de Burnout em professores 

Procurar ajuda não é vergonhoso! Você, professor, também precisa cuidar da sua saúde mental para manter o dever de ensinar. O diagnóstico do burnout pode ser feito por meio de exame clínico - médico, psicólogo - ou por instrumentos psicológicos específico para esse tipo de avaliação. 

A participação da família e da escola são de extrema importância para o tratamento se tornar efetivo! O ambiente escolar não deve abandonar seu profissional no momento em que ele mais precisa. Todos estão expostos a ter a síndrome de burnout, então, dê apoio para aqueles que estão passando pelo problema. 

O que achou do conteúdo? Deixe seu comentário! 

Nenhum comentário.

Deixe um comentário!

WordPress Image Lightbox Plugin