Cadastre seu e-mail para fazer o download:

X FECHAR

Cadastre seu e-mail para fazer o download:

X FECHAR

A raiva é tão ruim assim?

A raiva na maioria das vezes é “taxada” como uma emoção ruim, porque frequentemente ela gera comportamentos que não são adequados. Quando as crianças estão com raiva de alguma coisa, por exemplo, podem ficar mal humoradas, gritar, espernear e em alguns casos até bater ou morder.

 

Mas como lidar com a raiva?

Primeiro, é essencial entender a função que ela exerce em nós. A raiva normalmente aparece quando buscamos alguma coisa e essa busca é frustrada.  Ela é fundamental pois sinaliza “que precisamos fazer algo”, ela nos motiva a ação! É ela que gera um mecanismo para pensar em como se defender diante de tudo o que lhe provoca chateação.

É uma função de extrema importância para as nossas defesas, estabelecimento de limites e tomadas de atitude.

Dado que a raiva é importante para o desenvolvimento das crianças, a questão está em saber lidar com os comportamentos decorrentes dela! É fundamental que os adultos ajudem as crianças a lidar com essa emoção de forma sábia.

O segredo está em ter empatia com os sentimentos dos pequenos, mas não necessariamente concordar e aprovar os comportamentos resultantes do sentimento. Por exemplo, quando a criança está com raiva que o seu brinquedo quebrou, você deve demonstrar empatia pela situação, dizendo que você entende o que está se passando dentro da cabeça e do coração dele.

 

E lembre de nomear a emoção para a criança.

Diga a ela: “sei que você está com raiva”. No entanto, isso não quer dizer que você deve ceder às vontades da criança de comprar outro ou mentir para ela dizendo que a situação será diferente.

Caso uma conversa não resolva, você pode fazer uma atividade que distraia a criança para descarregar a energia que a emoção da raiva produz.

Pode fazer uma brincadeira de cortar papéis e mandar a raiva embora; ou pode fazer 2 minutos de respiração profunda com a criança ou pedir para ela contar até 10 e deixar que raiva vá saindo do corpinho dela.

Portanto deixe seu filho sentir raiva, afinal ela é uma arma de defesa! Só tenha cuidado ao direcionar o comportamento das crianças! A raiva pode ser bem desagradável, mas ela tem uma função fundamental.

Saiba como entender e acolher as emoções das crianças com os livros Tenho Monstros na Barriga e Tenho Mais Monstros na Barriga aqui.

 

af_tonia_cta-10-desconto-medo_900x200px

1 Comentário

  1. Amei o artigo. Sou arteeducadora e trabalho com crianças de 05 a 11 anos e isto me será muito útil, Gratidão.

Deixe um comentário!

WordPress Image Lightbox Plugin