Cadastre seu e-mail para fazer o download:

X FECHAR

Cadastre seu e-mail para fazer o download:

X FECHAR

Rede de apoio: a importância de ajudar recém mães

Você certamente já ouviu a palavra “rede de apoio”. Saiba que isso possui um significado que vai muito além de construir laços, mas tem como importância a união, o amparo e a empatia. 

Na realidade, a rede de apoio vem como uma necessidade para todas as mães que passam pelo processo puerpério - fase do pós parto -, um momento bem delicado e que requer auxílio de todos. 

Entretanto, para a construção de uma rede de apoio, a mãe pode contar não só com os familiares, mas também com amigos, vizinhos e até mesmo de grupos nas redes sociais. É a união de diversas pessoas com um único objetivo: dar segurança e oferecer forças para a pessoa aguentar o quanto for. 

Quer saber mais como funciona a rede de apoio? Confira abaixo o que é e como você, mamãe, pode encontrar ajuda nesta nova fase. 

Os desafios iniciais de uma mãe 

Toda mulher que vivencia a experiência do pós parto se encontra em um novo desafio: lidar com as responsabilidades do bebê e ainda cuidar dela mesma. Sabemos bem que não é uma tarefa simples!  

Para as mães de primeira viagem, o sonho da maternidade, todo o planejamento durante os 9 meses e toda aquela confiança de que “tudo vai dar certo, cuidarei de tudo”, pode ser algo frustrante. 

O que é rede de apoio? 

Quando pensamos em rede de apoio, podemos facilmente coligar com a ajuda, que é um termo semelhante, mas que na prática, é totalmente diferente.  Ajudar é algo momentâneo; pedir ajuda de uma vizinha para buscar a criança na escola, ou cuidar do pequeno para ir ao supermercado. 

A rede de apoio é mais do que uma ajuda. É auxiliar uma mãe que não consegue lidar com as tarefas de casa sozinha, cuidar de si e do bebê ao mesmo tempo. E mais do que isso, apoio é saber ouvir uma mãe. Observar, escutar uma mulher que está vivenciando um processo pós-parto. 

Como se constitui? 

Numa rede de apoio pode conter médicos, psicólogos, amigos, familiares, vizinhos, qualquer tipo de auxílio que possa dar para uma mãe não só durante o período puerpério, mas também em todas as fases da maternidade

Precisamos lembrar também das mulheres que não possuem a oportunidade e o privilégio de contar com a ajuda da família, marido ou amigos após a gravidez. Uma mãe que precisar lidar com tudo sozinha. 

Uma boa sugestão é participar de grupos de mães nas redes sociais. Compartilhar suas experiências com outras mulheres é um ótimo caminho para saber lidar com as dificuldades durante o puerpério. 

O que NÃO fazer quando se quer ajudar uma recém-mãe

Antes de tudo, é preciso saber o que NÃO é apoio. Apoio não é impor conhecimentos a uma mãe que acabou de parir, sejam eles científicos,  empíricos ou a sua vista. Isso evita de trazer dúvidas ou inseguranças para a mãe. Apoio não é realizar visitas inapropriadas, sem avisar. Apoio não é se instalar na casa de uma recém-mãe sem ser convidado. É necessário abrir mão dos seus desejos para apoiar uma mãe recém parida.

Rede de apoio é uma via de mão dupla! 

Precisamos falar de um ponto importante: comprometimento. Notamos que algumas mães solicitam ajuda, gritam por socorro, no momento que precisam contribuir, colocam alguma desculpa. 

Infelizmente, esse hábito é bem comum no universo materno. Do que adianta participar de grupos, reuniões, ter pessoas próximas dispostas a ajudar, se quando é a sua vez de dar o suporte, você não está ali para amparar? 

Pratique a empatia, se coloque também no lugar daquela mãe que agora precisa de uma ajuda! Você precisou e teve alguém para lhe apoiar. 

a importância da rede de apoio na maternidade

Formas de ajudar uma mãe recém-parida  

Chegamos a melhor parte deste post! São pequenas atitudes que podem transformar o dia de uma recém-mãe. Confira de que forma você pode apoiar uma mamãe no pós-parto: 

-  Lave a louça 

Quando for fazer uma visita, busque lavar a louça que sujar ou até mesmo se ofereça para arrumar o que já estiver sujo.  

- Ligue rapidinho 

Caso você ligue para uma mãe recém-parida, não entre em contato a cada 1 hora! Busque fazer ligações rápidas, só para saber como a mãe o bebê estão, ou se ela precisará de alguma ajuda.  

- Ofereça de ouvir os pais

Se disponibilize para ouvi-los, saber como anda esse processo de maternidade para os dois. É sempre bom nos prontificar a escutar neste momento! 

- Respeite 

É preciso compreender e respeitar o momento de maternidade. Não opine quando não for solicitado ou julgue a forma de como a mãe esteja criando o bebê. Esse é um momento de apoio e não de magoar ou compactuar para o surgimento de inseguranças. 

Construa sua rede de apoio 

Vivenciar a maternidade pode parecer uma tarefa simples para quem vê de fora, ou para aquelas que estão no processo de gestação. Saiba que você não poderá lidar com tudo sozinha e que toda ajuda é bem-vinda. Crie laços com aqueles que possam te ajudar de todas as formas!  

Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário e continue acompanhando nossos posts!  

Nenhum comentário.

Deixe um comentário!

WordPress Image Lightbox Plugin